quarta-feira, 22 de março de 2017

PONTE DA LAPA

Ponte Saturnino de Brito (Ponte da Lapa)

Do Livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 2
(Waldir Carvalho)

PONTE DA LAPA

   A inauguração da ponte sobre o rio Paraíba em frente ao bairro da Lapa, ocorreu no dia 17 de outubro de 1964. O ato que teve caráter político, contou com a presença de figuras importantes da vida pública brasileira.

O Ministro Juarez Távora entre o Prefeito Rockfeller de Lima e o Deputado Alair Ferreira.

   Convidado especial do anfitrião da festa - Deputado Alair Ferreira - presidiu a inauguração o Sr. Juarez Távora, então Ministro da Aviação e Obras Públicas. Outros nomes de destaque: engenheiro Miranda Carvalho; Rockfeller de Lima, Prefeito de Campos e Alberto Dauaire, Prefeito do vizinho município de São João da Barra. À princípio, dois nomes de pessoas ilustres disputavam a identidade da ponte: Juscelino Kubitschek e Saturnino de Brito.


quarta-feira, 8 de março de 2017

E no Dia da MULHER...


                            Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 1

(Waldir Carvalho)         
         Duas mulheres campistas estiveram na Segunda Guerra Mundial. Uma delas, foi a Segunda Tenente Lília Pereira da Silva. Filha de Paulino Pereira da Silva e Aidée Guimarães e portadora do diploma de enfermeira, incorporou as Forças Expedicionárias, marcando a presença da mulher campista na guerra que abalou o mundo de 1939 a 1945. Lília prestou o melhor dos seus serviços e, mesmo tendo sido acidentada, voltou ao nosso país, vitoriosa, em 27 de dezembro de 1944.


            A outra, foi Maria José Vassimon de Freitas, que nascida na terra de Benta Pereira, esteve servindo às Forças Expedicionárias durante o conflito. Filha de Joviniano Freitas e Maria Vassimon Freitas, Maria José, na condição de Enfermeira Socorrista, deu a melhor de sua contribuição, atendendo os feridos que puderam ser retirados dos campos de batalha. Não é sem motivo que a bandeira do nosso município traz esta inscrição: "Aqui, até as mulheres lutam pelo Direito!"

sábado, 31 de dezembro de 2016

O BLOG ENTRA DE FÉRIAS!...


..não sem antes deixar publicado uma Poesia de WALDIR CARVALHO:

Mansidão de pássaros
                        Waldir Carvalho
Manhã
Canto de pássaros lá fora.
Canto feliz!

Como naquelas manhãs:
Nada muda,
Tudo fala,
A mesma coisa,
No mesmo tom de alegria,
E a felicidade, por bondade ,
Está presente.

Que bom morrer como  um passarinho !
Na pausa de uma cantoria,
No auge de uma louvação de amor!

A humana criatura é tão rica
E tão pobre:
Tem tudo para fazer tudo,
Sem ser tudo,
Não vai além do quase nada,
Nesse nada que é tudo,

Busca lá fora,
O sorriso, a canção, a ternura ,
O amor, a paz, a igualdade,
Busca, enfim ,
A felicidade .

Não vê cá dentro ,
No que tem de profundo ,
A própria essência do mundo ;
Não sente
nos reais poderes seus ,
A presença feliz ,
E redentora  de Deus!

Os pássaros não mudam.
Só o homem quer mais
Anseia e se perde na sua ambição; 
Tantas são as graças que recebe
Poucas são as oferendas que faz

Cansado do planeta,
Que viver noutros  planos,
Nas alturas;
Não eleva o pensamento:
Faz-se aeronauta, astronauta ,
Faz-se cosmonauta,
Faz  loucuras!

Os passarinhos,
Ricos de alegria, de paz, de amor,
De ternura, vive no igual;
Não inventam,
Não lamentam,
Brincam de pique no espaço sideral.

Pela ausência do mal,
Pela presença do bem,
Vale muito a pena,cantar também.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

AUTOR E ATORES DAS NOVELAS RADIOFONIZADAS



NOTA DO BLOG: Com a notícia do falecimento hoje do Rádio -ator SALVADOR MACEDO  está página reproduz  texto escrito por Waldir Carvalho ,bem como a foto de recorte de jornal de matéria feita pelo MONITOR CAMPISTA (escrita pela jornalista Alicinéia Gama) datada de 08 de maio de 2003.







                                                                           O autor                    
         
                                                                      os intérpretes

                                Do livro: "Campos depois do Centenário" - volume II

                                                               (Waldir Carvalho)

                                                      O CRIADOR E AS CRIATURAS

         No referido livro às páginas:39, 40, 41, 42 e 43 o autor relata seus passos importantes  na carreira profissional de RADIALISTA.  
         Agradece e apresenta "os rádio atores, locutores, cantores, sonoplastas que viveram ao microfone da RÁDIO CULTURA DE CAMPOS os muitos personagens de suas  criações em novelas, rádio-teatro, sketcs humorísticas, novelas históricas...

sábado, 24 de dezembro de 2016

EXPEDIENTE BANCÁRIO (1962)


                               (Antigo Banco do Brasil)

Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" – volume II
(Waldir Carvalho)

EXPEDIENTE BANCÁRIO
(1962)

   "A partir  de 15 de setembro de 1962, como aconteceu em todo o Estado e conforme acordo entre bancários e banqueiros, nos bancos de Campos ficava extinto expediente aos sábados." 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

EXPOSIÇÃO DE FOTOS COLORIDAS


(Imagem Ilustrativa)



Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 2
(Waldir Carvalho)


EXPOSIÇÃO DE FOTOS COLORIDAS


     No dia 20 de abril de 1957, era aberta a 1ª Exposição de Fotos Coloridas de Campos. A iniciativa foi da Sociedade Campista de Fotografias. Ocorreu no saguão da Associação Comercial de Campos. Dado o êxito alcançado, a entidade marcou para breve o lançamento de um concurso para a escolha de "Miss Objetiva". As bases do para o certame estavam sendo elaboradas pela Sra. Edith Manhães Blasi, do Departamento Feminino da entidade.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

NOVO APAGÃO

imagem ilustrativa

Do livro:"Campos depois do Centenário" volume III
Waldir Carvalho


              "Em  16 de julho de 1967 assinalava em Campos um novo APAGÃO.
             A falta de energia elétrica levou a cidade  a ficar sem pão, sem jornais e quase sem carne verde. 
             Lampiões e velas  eram o que mais se vendia no comércio local.
           Gente espirituosa logo criou e espalhou  pelas ruas o seguinte slogan: ' Chega de escuridão; Campos exige solução!'.
            A própria sigla da empresa ganhou novo significado: E F E - Empresa Fluminense de Escuridão..."

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

SERVIÇO DE SALVA-VIDAS EM FAROL DE SÃO THOMÉ

Pesca de arrastão no Farol de S. Thomé
(1960)

Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 2
(Waldir Carvalho)
Em 9 de fevereiro de 1960, era inaugurado nesta data, na praia do Farol de São Thomé, o 1º Serviço de Guardas-Vidas. Numa época em que a praia campista era temida devido ao permanente mar agitado, tal providência, há muito reclamada, vinha afinal, preencher uma grande lacuna. A feliz iniciativa foi do prefeito José Alves de Azevedo que, selecionando elementos que fizera estagiar no Rio de Janeiro, inaugurou em boa hora aquela atividade. Não é necessário dizer da excelente acolhida por parte dos frequentadores da citada praia.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

CAMPISTA INVENTA NOVO ESPORTE (1945)


 

(Imagem Ilustrativa)


Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 1

(Waldir Carvalho)


CAMPISTA INVENTA NOVO ESPORTE

    1945 - Na segunda quinzena de fevereiro, viera do Rio, onde jogava futebol em grandes clubes, Zaqueu Ferreira da Silva, com a finalidade de lançar em sua terra natal, o "Kick-Goal", um esporte de sua invenção e que viria a enriquecer Campos. Suas palavras: "Campos enriquecerá a vida esportiva brasileira. Eu inventei o "Kick-Goal" que, pela sua beleza e originalidade, conquistará a platéia esportistas".

   E exibindo um folheto continuou: "Eu estudei a realização desse esporte durante cinco anos. Coloquei em prática na Pedra de Guaratinguetá. Não quis explorá-lo porque sou campista e quero que surja em Campos o "Kick-Goal". E disse mais, Zaqueu: "Apenas difere do futebol porque é jogado com a mão e a marcação dos tentos obedece a um sistema difícil. O segredo reside na área que mata as jogadas. Sua dimensão é 2 x 4 metros. Quem entrar nela estará fora de jogo. A bola, também, não pode tocar aquele setor. Para a conquista dos tentos é necessário que a bola, fira o terreno num só "kick" e ganhe a rede defendida por um "keeper". A equipe constará de 10 jogadores e só é permitido o uso da cabeçada. Contando com a colaboração de Carino Quitete, Zaqueu pôde fazer uma demonstração com a equipe do Rio Branco.

   Em termos de invenção, não se teve mais notícias do sucesso ou fracasso de Zaqueu Ferreira da Silva.

sábado, 3 de dezembro de 2016

O REFÚGIO- PRAÇA PRUDENTE DE MORAIS

Praça Prudente de Morais

Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 1
(Waldir Carvalho)

O REFÚGIO

   A 25 de janeiro de 1941 era inaugurado o REFÚGIO da Praça Prudente de Morais (antiga Praça das Verduras) em virtude de ter existido ali, a “Quitanda” de Tia Justina, mãe de José do Patrocínio. Tal construção que tem sido, ao longo dos anos, utilizada como bar, foi destinada aos passageiros de ônibus da linha Turfe Clube. O primeiro coletivo que dali partiu, tinha o nº 10 e pertencia à Empresa Progresso de Campos.