sábado, 31 de dezembro de 2016

O BLOG ENTRA DE FÉRIAS!...


..não sem antes deixar publicado uma Poesia de WALDIR CARVALHO:

Mansidão de pássaros
                        Waldir Carvalho
Manhã
Canto de pássaros lá fora.
Canto feliz!

Como naquelas manhãs:
Nada muda,
Tudo fala,
A mesma coisa,
No mesmo tom de alegria,
E a felicidade, por bondade ,
Está presente.

Que bom morrer como  um passarinho !
Na pausa de uma cantoria,
No auge de uma louvação de amor!

A humana criatura é tão rica
E tão pobre:
Tem tudo para fazer tudo,
Sem ser tudo,
Não vai além do quase nada,
Nesse nada que é tudo,

Busca lá fora,
O sorriso, a canção, a ternura ,
O amor, a paz, a igualdade,
Busca, enfim ,
A felicidade .

Não vê cá dentro ,
No que tem de profundo ,
A própria essência do mundo ;
Não sente
nos reais poderes seus ,
A presença feliz ,
E redentora  de Deus!

Os pássaros não mudam.
Só o homem quer mais
Anseia e se perde na sua ambição; 
Tantas são as graças que recebe
Poucas são as oferendas que faz

Cansado do planeta,
Que viver noutros  planos,
Nas alturas;
Não eleva o pensamento:
Faz-se aeronauta, astronauta ,
Faz-se cosmonauta,
Faz  loucuras!

Os passarinhos,
Ricos de alegria, de paz, de amor,
De ternura, vive no igual;
Não inventam,
Não lamentam,
Brincam de pique no espaço sideral.

Pela ausência do mal,
Pela presença do bem,
Vale muito a pena,cantar também.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

AUTOR E ATORES DAS NOVELAS RADIOFONIZADAS



NOTA DO BLOG: Com a notícia do falecimento hoje do Rádio -ator SALVADOR MACEDO  está página reproduz  texto escrito por Waldir Carvalho ,bem como a foto de recorte de jornal de matéria feita pelo MONITOR CAMPISTA (escrita pela jornalista Alicinéia Gama) datada de 08 de maio de 2003.







                                                                           O autor                    
         
                                                                      os intérpretes

                                Do livro: "Campos depois do Centenário" - volume II

                                                               (Waldir Carvalho)

                                                      O CRIADOR E AS CRIATURAS

         No referido livro às páginas:39, 40, 41, 42 e 43 o autor relata seus passos importantes  na carreira profissional de RADIALISTA.  
         Agradece e apresenta "os rádio atores, locutores, cantores, sonoplastas que viveram ao microfone da RÁDIO CULTURA DE CAMPOS os muitos personagens de suas  criações em novelas, rádio-teatro, sketcs humorísticas, novelas históricas...

sábado, 24 de dezembro de 2016

EXPEDIENTE BANCÁRIO (1962)


                               (Antigo Banco do Brasil)

Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" – volume II
(Waldir Carvalho)

EXPEDIENTE BANCÁRIO
(1962)

   "A partir  de 15 de setembro de 1962, como aconteceu em todo o Estado e conforme acordo entre bancários e banqueiros, nos bancos de Campos ficava extinto expediente aos sábados." 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

EXPOSIÇÃO DE FOTOS COLORIDAS


(Imagem Ilustrativa)



Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 2
(Waldir Carvalho)


EXPOSIÇÃO DE FOTOS COLORIDAS


     No dia 20 de abril de 1957, era aberta a 1ª Exposição de Fotos Coloridas de Campos. A iniciativa foi da Sociedade Campista de Fotografias. Ocorreu no saguão da Associação Comercial de Campos. Dado o êxito alcançado, a entidade marcou para breve o lançamento de um concurso para a escolha de "Miss Objetiva". As bases do para o certame estavam sendo elaboradas pela Sra. Edith Manhães Blasi, do Departamento Feminino da entidade.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

NOVO APAGÃO

imagem ilustrativa

Do livro:"Campos depois do Centenário" volume III
Waldir Carvalho


              "Em  16 de julho de 1967 assinalava em Campos um novo APAGÃO.
             A falta de energia elétrica levou a cidade  a ficar sem pão, sem jornais e quase sem carne verde. 
             Lampiões e velas  eram o que mais se vendia no comércio local.
           Gente espirituosa logo criou e espalhou  pelas ruas o seguinte slogan: ' Chega de escuridão; Campos exige solução!'.
            A própria sigla da empresa ganhou novo significado: E F E - Empresa Fluminense de Escuridão..."

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

SERVIÇO DE SALVA-VIDAS EM FAROL DE SÃO THOMÉ

Pesca de arrastão no Farol de S. Thomé
(1960)

Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 2
(Waldir Carvalho)
Em 9 de fevereiro de 1960, era inaugurado nesta data, na praia do Farol de São Thomé, o 1º Serviço de Guardas-Vidas. Numa época em que a praia campista era temida devido ao permanente mar agitado, tal providência, há muito reclamada, vinha afinal, preencher uma grande lacuna. A feliz iniciativa foi do prefeito José Alves de Azevedo que, selecionando elementos que fizera estagiar no Rio de Janeiro, inaugurou em boa hora aquela atividade. Não é necessário dizer da excelente acolhida por parte dos frequentadores da citada praia.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

CAMPISTA INVENTA NOVO ESPORTE (1945)


 

(Imagem Ilustrativa)


Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 1

(Waldir Carvalho)


CAMPISTA INVENTA NOVO ESPORTE

    1945 - Na segunda quinzena de fevereiro, viera do Rio, onde jogava futebol em grandes clubes, Zaqueu Ferreira da Silva, com a finalidade de lançar em sua terra natal, o "Kick-Goal", um esporte de sua invenção e que viria a enriquecer Campos. Suas palavras: "Campos enriquecerá a vida esportiva brasileira. Eu inventei o "Kick-Goal" que, pela sua beleza e originalidade, conquistará a platéia esportistas".

   E exibindo um folheto continuou: "Eu estudei a realização desse esporte durante cinco anos. Coloquei em prática na Pedra de Guaratinguetá. Não quis explorá-lo porque sou campista e quero que surja em Campos o "Kick-Goal". E disse mais, Zaqueu: "Apenas difere do futebol porque é jogado com a mão e a marcação dos tentos obedece a um sistema difícil. O segredo reside na área que mata as jogadas. Sua dimensão é 2 x 4 metros. Quem entrar nela estará fora de jogo. A bola, também, não pode tocar aquele setor. Para a conquista dos tentos é necessário que a bola, fira o terreno num só "kick" e ganhe a rede defendida por um "keeper". A equipe constará de 10 jogadores e só é permitido o uso da cabeçada. Contando com a colaboração de Carino Quitete, Zaqueu pôde fazer uma demonstração com a equipe do Rio Branco.

   Em termos de invenção, não se teve mais notícias do sucesso ou fracasso de Zaqueu Ferreira da Silva.

sábado, 3 de dezembro de 2016

O REFÚGIO- PRAÇA PRUDENTE DE MORAIS

Praça Prudente de Morais

Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 1
(Waldir Carvalho)

O REFÚGIO

   A 25 de janeiro de 1941 era inaugurado o REFÚGIO da Praça Prudente de Morais (antiga Praça das Verduras) em virtude de ter existido ali, a “Quitanda” de Tia Justina, mãe de José do Patrocínio. Tal construção que tem sido, ao longo dos anos, utilizada como bar, foi destinada aos passageiros de ônibus da linha Turfe Clube. O primeiro coletivo que dali partiu, tinha o nº 10 e pertencia à Empresa Progresso de Campos.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

PRIMEIRO DESASTRE DE AVIÃO EM CAMPOS DOS GOYTACAZES (RJ) - 1936


(Imagem Ilustrativa)


Do livro: "CAMPOS DEPOIS DO CENTENÁRIO" - Vol. 1
(Waldir Carvalho)

PRIMEIRO DESASTRE DE AVIÃO


   O primeiro desastre de avião em Campos, teve lugar no dia 20 de janeiro de 1936. O fato foi com um aparelho do Exército Brasileiro. Quem pilotava o avião foi o Tenente-Aviador Vila Fortes. Procedente do Rio de Janeiro e após fazer evoluções sobre a cidade, no momento da aterrissagem, o aparelho espatifou-se. Ainda bem que o piloto, única pessoa do avião, nada sofreu. Ao sair ileso, Vila Fortes comunicou o acontecido ao Prefeito Sílvio Bastos Tavares que o hospedou até o dia seguinte. O fato não deixou de assustar a população.



terça-feira, 22 de novembro de 2016

ORFEÃO SANTA CECÍLIA(1941)

Orfeão de Santa Cecília

Do livro: "Campos depois do Centenário" -Vol. 1
(Waldir Carvalho)

    "O Orfeão de Santa Cecília, conjunto orfeônico que veio enriquecer o setor da Cultura Musical de Campos, foi fundado no dia 22 de novembro de 1941, dia consagrado à padroeira da Música, Santa Cecília.

Orfeão de Santa Cecília

     Seu idealizador e fundador foi o erudito Professor Newton Perissé Duarte.
     Foi diretor da entidade até 1964.
    Nos valendo do brilhante texto de Vicente Rangel, informamos que, foram atraídos vários intelectuais, escritores e artistas de Campos.
    O primeiro Concerto foi realizado no Trianon, em 19 de agosto de 1949,  por ocasião da apresentação do consagrado pianista polonês Miécio Horszowski.
     Ao longo dos anos inúmeros artistas de projeção nacional e internacional se apresentaram.
   Com o falecimento do seu fundador e regente (1965) assumiu a direção musical a Professora Vânia Ventura Barreto.


     O Orfeão Santa Cecília é considerado um dos maiores patrimônios artístico-musicais de nossa terra..."